Peppa Pig e a Fada do Dente
Como explicar a troca de dentes para crianças?
2 de agosto de 2016
Os piores alimentos do mundo: quais são e por quê não consumi-los
19 de agosto de 2016

Diabetes

Pacientes Com Diabetes Podem Ser Identificados Na Cadeira Do Dentista?

No seu check-up odontológico regular, você espera que seu dentista examine seus dentes e gengiva para detecção dos sinais de cárie, doenças gengivais e até mesmo câncer bucal. Porém, pesquisadores da Faculdade de Odontologia da Universidade de Columbia dizem que seu dentista também poderia estar na linha de frente para identificar diabetes não diagnosticada ou pré-diabetes durante uma consulta odontológica de rotina.

Pesquisadores da odontologia recrutaram cerca de 600 novos participantes que consultavam uma clínica odontológica em Manhattan. Nenhum dos participantes (mais de 40 anos de idade não hispânicos e brancos e mais de 30 anos hispânicos ou não brancos) haviam sido avisados previamente de que tinham pré-diabetes ou diabetes. Um total de 535 pacientes com pelo menos um fator de risco autodeclarado, incluindo histórico familiar de diabetes, hipertensão, colesterol alto ou sobrepeso/obesidade, receberam um exame periodontal e um teste simples de hemoglobina A1c da ponta do dedo. Os pacientes retornaram em visita posterior para um teste de glicose plasmática em jejum, um teste que detecta diabetes ou pré-diabetes.

Os pesquisadores constataram que dois fatores odontológicos – o número de dentes ausentes e a porcentagem de bolsas periodontais – eram eficazes na detecção de pacientes de risco que possuíam diabetes ou pré-diabetes não diagnosticadas.

A doença periodontal é uma complicação inicial da diabetes e cerca de 70 por cento dos adultos norte-americanos consultam o dentista pelo menos uma vez por ano”, diz Dr. Ira Lamster, reitor da Faculdade de Odontologia da Universidade Columbia e autor principal do estudo.

O reconhecimento precoce da diabetes tem sido o foco de esforços de colegas da medicina e saúde pública há anos, uma vez que o tratamento precoce dos indivíduos afetados pode limitar o desenvolvimento de muitas complicações sérias”, diz Dra. Evanthia Lalla, pesquisadora chefe do estudo. Nossos achados oferecem uma abordagem simples que pode ser facilmente utilizada em todos os ambientes odontológicos.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças, a diabetes afetou quase 26 milhões de pessoas, quase 8,3 por cento da população, em 2010. Porém, menos de 19 milhões foram diagnosticados. Calcula-se que outros 7 milhões de pessoas não sabem ter diabetes – a sétima principal causa de morte nos Estados Unidos e a primeira de falência renal, amputações não traumáticas de membros inferiores e novos casos de cegueira entre adultos dos Estados Unidos. Pessoas com diabetes também têm risco aumentado de doença cardíaca e derrame.